Contribuir para a difusão do conhecimento, 	Promover a formação sistemática de conhecimento e tecnologia, reforçando a função de preservação

O estudioso americano T.F. Carter certa vez observou: “O molde de tipos foi a chave para a invenção da tecnologia de impressão de tipos. Os coreanos foram os pioneiros nesta tecnologia, o que demonstra a importância da impressão coreana.” Embora a produção de tipos metálicos para dezenas de milhares de caracteres chineses na Coreia tenha acarretado diferenças significativas no processo de produção da fabricação de tipos e composição tipográfica em comparação com os 26 alfabetos usados no Ocidente, é inegável que a impressão e publicação contribuíram muito para a difusão do conhecimento no Oriente e no Ocidente.

Muitos dos grandes avanços e mudanças ao longo da história foram baseados em inovações em tecnologia da informação. Essas inovações transformaram a linguagem de um simples meio de fornecer informação num meio de passá-la às gerações futuras. Entretanto, o texto escrito promoveu a formação sistemática de conhecimento e tecnologia, permitindo informação mais elaborada para garantir melhor compreensão e maior preservação do conhecimento. A tecnologia de impressão permitiu a produção em massa e a circulação em massa de informação e conhecimento, e o desenvolvimento de máquinas de impressão levou à expansão da produção de informação. Hoje, as tecnologias de rede e informática estão a tornar a informação mais acessível ao público e útil, para lá das restrições de tempo e espaço que são impostas aos materiais impressos. Da perspetiva histórica, no entanto, a invenção da impressão, em particular a impressão de tipos móveis metálicos, é talvez especialmente notável, dado que levou à reprodução em massa do conhecimento e da comunicação de massa pela primeira vez na história cultural humana, e o seu impacto continua até hoje.

Referências

  • Lee Heejae (2005), História e Cultura dos Meios de Informação, Booktopia.
  • Lee Hea Eun (1996), Estudo sobre a Circulação e Divulgação da Literatura de Joseon, Universidade de Mulheres de Sookmyung, uma tese de mestrado.
  • Dominique Barjot (2015), Património Cultural Mundial Jikji - o Significado Como o Primeiro Livro Impresso do Mundo, Jikji, a Grande Criatividade, Museu da Impressão Antiga de Cheongju, 197-213.
  • Elizabeth L. Eisenstein, traduzido por Jeon Yeongpyo (2008), A Máquina de Impressão como Agente de Mudança. Communication Books.
페이지 상단으로 이동